Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Ribeiro da Quintã

 

 

pontos de interesse:
Vila de Ruivães às 20:00

| deixar comentário
9 comentários:
De ermelinda silva a 2 de Novembro de 2008 às 11:09

A minha dúvida não era linguística, mas de ordem prática, e tinha a ver com a sítio , a proveniência da água,donde vem o rigueiro, se da fontela ou de mais longe.

Portanto, dúvida que se mantém mas que pretendo tirar a limpo, eu própria.

Também tenho aqui um Dicionário, uma Diciopédia e um prontoário ortográfico mesmo à mão, entre outros materias de consulta. Sou investigadora por necessidade...mas não sei tudo, é por isso que consulto!

Mas agradeço a intenção!
De ermelinda silva a 3 de Novembro de 2008 às 09:37

A propósito da origem etimológica das palvras, há dois Blogues muito competentes para nos ajudar principalmente nos programas radiofónicos e outros, da "nossa autoria": Escavar em Ruínas(com ligação a partir do nosso Bolgue) e Estrada do Alicerce(cujo dono é especialista em Linguística).
É só mais uma informação, porque isto da origem latina (eu que dei 5 anos de Latim) às vezes não chega. O costume, a prática das comunidades inventa vocabulário ligado às práticas de vida e, são esses vocábulos que exigem especialistas mas em cada comunidade.

O dono do Blogue, Escavar em Ruínas, é um grande especialista neste tipo de temas!
De alguém que não deixou o nome a 4 de Novembro de 2008 às 21:25
o rigueiro nasce por baixo da "beçada", dos campos do falecido luís e dos do "pena"!!!

Comentar post